Matérias do autor


9 de maio de 2018

Melasma


Com a chegada do inverno há um aumento significativo da procura por tratamentos das terríveis manchas na pele. Algumas delas agravadas após o verão devido a maior exposição solar e proteção inadequada.

Melasma é uma doença crônica que se caracteriza pelo surgimento de manchas escuras na pele, mais comumente na face, mas também pode ocorrer em outras áreas como braços, pescoço e colo.

É frequentemente mais comum em mulheres, porém pode acometer também os homens. Não há uma causa definida, mas muitas vezes esta condição está relacionada ao uso de anticoncepcionais femininos, à gravidez e, principalmente, à exposição solar.

O fator desencadeante é a exposição à luz ultravioleta e, até mesmo, à luz visível (lâmpadas). Além dos fatores hormonais e da exposição aos raios solares, a predisposição genética também é muito importante no surgimento desta patologia.

Ela se apresenta como manchas escuras ou acastanhadas que iniciam na face, principalmente nas maçãs do rosto, testa, nariz e lábio superior (buço). As manchas têm formatos irregulares e bem definidos, sendo geralmente simétricas (iguais nos dois lados). Muitas vezes, as pessoas com melasma podem agravar a condição com um tratamento ou procedimento inadequado, ocorrendo piora importante das manchas.

O dermatologista é o profissional mais indicado para diagnosticar e tratar esta condição.

Os tratamentos variam muito, mas deve-se sempre compreender que a proteção contra raios ultravioleta e à luz visível deve ser redobrada quando se inicia o tratamento. As terapias disponíveis são o uso de medicamentos tópicos, orais e procedimentos para o clareamento. Dentre os procedimentos mais realizados estão os peelings, luz pulsada, microagulhamento e lasers.

É importante ressaltar que o tratamento do melasma sempre prevê um conjunto de medidas para clarear, estabilizar e impedir que o pigmento volte, já que se trata de uma doença crônica, os cuidados são contínuos.

A maior prevenção para o melasma é a proteção solar.  As pessoas acometidas por melasma devem aplicar um filtro solar potente, físico e químico, com FPS alto. Em especial, procurar por filtros que tenham proteções contra os raios ultravioleta A (UVA) e ultravioleta B (UVB).

As medidas de proteção devem ser realizadas diariamente, mesmo que o dia esteja nublado ou chuvoso, bem como a reaplicação do filtro solar, para manter a proteção adequada durante todo o dia.



Veja também