Contato Vip


A Revista Contato VIP circula desde 1993 na região norte do Rio Grande do Sul, sediada em Carazinho. Em 2014 foi iniciado um projeto expansão, e hoje a revista circula também em Passo Fundo, Marau e demais cidades da região norte do Estado. Há mais de 25 anos mostrando o lado bom da vida!

Matérias do autor


6 de dezembro de 2019

Entrevista – Athos Beuren


Athos Beuren é formado em jornalismo e foi o primeiro e mais jovem autor nacional de livros-jogos. Recebeu o Prêmio Açorianos de Literatura, um dos principais prêmios literários do Rio Grande do Sul, e também o Troféu Vasco Prado de Literatura. Foi ainda patrono de diversas Feiras do Livro e já conferiu centenas de palestras. Suas obras já foram prefaciadas por Moacyr Scliar, Maria Dinorah e Osvino Toillier. No mês de novembro ele esteve na Feira do Livro de Passo Fundo e concedeu uma entrevista exclusiva para a Contato VIP! Confira

Para quem ainda não conhece ou não é familiarizado com o assunto, você pode explicar o que é RPG? E de que forma o RPG começou a fazer parte da sua vida?
RPG é um jogo de contar histórias onde um grupo de amigos se reúne para viver aventuras. Enquanto um participante se torna o narrador, os outros assumem papéis de personagens. O narrador conta uma história que envolve os personagens e permite que eles decidam o que faze em cada situação. Conheci o RPG através dos livros-jogos da coleção Aventuras Fantásticas. Eu já gostava muito de ler e escrever e também gostava de jogar videogame. Ler um livro interativo, onde o leitor se transforma no personagem principal da história e pode fazer suas próprias escolhas, foi uma experiência incrível. Imediatamente eu tive vontade de escrever minhas próprias histórias nesta plataforma, pois era um meio de criar meus próprios jogos de videogame usando a literatura.

O seu primeiro livro foi publicado aos 10 anos! Como foi, na época, fazer essa publicação? Como foi o incentivo que você recebeu dos seus pais e professores?

Durante uma aula de português, escrevi minha primeira história interativa e mostrei à professora como se fazia a leitura. Ela acabou apresentando a história aos meus colegas e começamos a jogar em sala de aula. Depois da diversão, meus amigos pediram que eu escrevesse mais histórias interativas para jogarmos e isso se tornou um hobby. Aos poucos, mais colegas e professores começaram a acompanhar as aventuras e incentivar a produção. Com auxílio e incentivo constante também dos meus pais, no fim do ano reuni minhas histórias e lançamos uma coletânea como uma recordação para a turma. Foi neste processo que uma editora conheceu o trabalho e me convidou para publicá-lo com eles, pois ainda não havia um autor de livros-jogos brasileiro. Em 1997, quando tinha 10 anos de idade, lancei o livro através do selo deles na Feira do Livro de Porto Alegre. Este primeiro livro, Viver ou Morrer – Esta é a Jogada, foi agraciado com o Prêmio Açorianos de Literatura (um dos principais prêmios culturais do Rio Grande do Sul).

Como você percebe a relação entre a literatura e os jogos?

Os jogos nos oferecem fantásticos mundos de aventuras e uma boa dose de diversão, mas a literatura possui algo que nenhum jogo, com seu gráfico de cores e linhas imutáveis, sua trilha sonora programada, sua ambientação direcionada e seu enredo limitado, pode oferecer: imaginação! Talvez o poder das palavras seja menosprezado, mas a escrita tem a capacidade de capturar conceitos, ideias, sonhos, e guardá-los em palavras que serão lidas, absorvidas e resignificadas pela mente de cada leitor, proporcionando-lhe uma experiência diferente da de qualquer outro.

Você trabalha muito com crianças e adolescentes nas escolas, né?! Como é conversar com eles sobre os livros, qual é o retorno que eles te dão?

Há muitos anos visito escolas, feiras e eventos com o projeto Leitura & Aventura, uma iniciativa que trabalha o uso do RPG em sala de aula como ferramenta de ensino se utilizando dos livros-jogos e dinâmicas de grupo para estabelecer a conexão com o público e fomentar o hábito da leitura. Tendo o fator lúdico como catalisador para despertar o interesse dos alunos, ensinar se torna mais fácil e eficaz; aprender se torna mais divertido e instigante. Informações adquiridas são mais facilmente lembradas e melhor aprendidas quando estão ligadas a uma emoção. O RPG e os livros-jogos proporcionam crescimento cultural, refino da capacidade de raciocínio e promoção dos relacionamentos intersociais de forma saudável e inteligente. Estimulam a resolução de problemas, a criatividade e o trabalho em equipe. Oferecem abordagem literária que pode ser usada de forma pedagógica para ensinar sobre qualquer coisa – de matemática a inglês e até filosofia.

Tenho grande satisfação em trabalhar com crianças/jovens em formação, pois trata-se de um público com alta capacidade de absorção e alto potencial de multiplicação da informação. Em sua educação é onde este trabalho literário faz mais diferença. Minha maior recompensa é justamente ter este contato onde posso conhecê-los, ouvi-los, trocar ideias e gerar uma boa identificação com eles. Transbordo de alegria quando percebo que, de alguma forma, meu trabalho fez alguma diferença na vida de jovens, adultos, pais e/ou professores. Quando você ouve que determinada pessoa “não gostava de ler e agora devora livros por causa de suas obras”, você sabe que está no caminho certo. A leitura é um dos melhores exercícios para o intelecto e nos engrandece como indivíduos, nos capacitando para sermos melhores para nós mesmos e para o mundo.

 

 

 

As pessoas ainda se surpreendem pela proposta dos livros-jogos? Ou já estão mais familiarizadas com essa forma de literatura?

Os livros-jogos surpreendem muito! Leitores de todas as idades, quando mergulham pela primeira vez em uma aventura literária como heróis, descrevem a experiência como uma maravilhosa e eletrizante imersão. Além disso, jogar é muito fácil – qualquer criança consegue fazê-lo!

Livros interativos neste formato ainda são pouco conhecidos, pois não há muitos escritores e editoras que publicam o gênero no Brasil. As livrarias, por sua parte, preferem destacar produtos mais comerciais em detrimento desta proposta. Porém, quando chega nas mãos do leitor, o livro-jogo marca ao primeiro contato e se torna memorável. Uma boa forma de fazer estes livros chegarem aos leitores é através do trabalho conjunto entre autor e empresas, entidades, escolas e/ou poder público, direcionando a proposta especialmente para escolas. Os livros são sucesso entre pessoas todas as idades, mas principalmente entre o público infantojuvenil, além de serem bem aceitos por pais e professores. Realizo palestras, bate-papos, contação de histórias, dinâmicas e oficinas seguindo o caminho do herói nesta que considero ser minha grande aventura.

 

E o que mudou daquele seu primeiro livro até hoje?

O aprendizado foi enorme e as experiências inestimáveis. Cresci como pessoa, me qualifiquei como escritor. Conheci o mercado do livro e os anseios dos leitores. Mas ainda sou o mesmo sonhador. Escrevo porque amo, para viver e criar aventuras, para despertar emoções. Gostaria de revolucionar a educação com ferramentas que façam as crianças terem vontade de estudar/aprender, que as façam buscar o conhecimento com prazer e autonomia. Tenho grande alegria em poder compartilhar tudo isso e, quem sabe, não só despertar o prazer da leitura nas pessoas, mas incentivar aqueles que desejam criar as suas próprias histórias.

Nesta jornada, aprendi que errar acontece quando você trabalha, mas está tudo bem – o importante é fazer! Hoje sei admitir que minhas fraquezas fazem parte de quem eu sou enquanto trabalho para eliminá-las. Quanto aos livros, hoje me dedico à diversas linhas, escrevendo para o mais variado público. O Fantasma do Relógio, por exemplo, é um livro-jogo infantil com uma história interativa toda colorida, narrada em versinhos cheios de encanto e imaginação. Temos também o Manto de Coragem, infantojuvenil, que traz uma série de novas mecânicas interativas e segredos escondidos em suas páginas. Já o DezAventuras é um livro que traz uma coletânea de histórias interativas de fantasia medieval e ficção científica para o público jovem-adulto.

Ficarei muito feliz em receber o contato da galera, seja crítica, elogio, sugestão ou pergunta; qualquer coisa. Estou à disposição através do meu e-mail athosbeuren@hotmail.com ou na minha página do Facebook www.fb.com/AthosBeurenRPG. Também convido todos a conferirem meu Instagram @athosbeuren, onde está rolando uma aventura através dos stories (está no fim, mas no álbum de destaques é possível conferir toda a história). Boas aventuras!

 

 



Veja também